Casa

Se o problema é a insatisfação com a sua casa, saiba como resolver: listamos 5 problemas para você agir de acordo com a sua necessidade. Leia o conteúdo e descubra!

Construir ou reformar exige muito mais do que simplesmente querer. Diversos fatores devem ser levados em consideração para o sucesso e satisfação de uma obra.

Não é raro acompanhar pessoas que idealizaram a casa dos seus sonhos e acabaram por frustrarem às expectativas. Ou ainda, na metade do caminho, sentirem que o projeto não era exatamente o que sonhavam.

Se você está insatisfeito com a atual situação da sua casa, esse conteúdo tem muito a lhe ensinar. Leia todo o texto e comece a resolver os problemas, seja por falta de espaço, decoração ou porque você paga aluguel e não quer investir no que não é seu.

1. Identifique quais são os problemas

O primeiro passo é identificar quais são os problemas que insistem em atormentar o seu conforto em casa. Aliás, a falta de conforto pode ser um deles.

A sua casa deveria ser o melhor lugar para você estar. Se isso não condiz com a realidade atual, os problemas precisam ser levantados para que a ação seguinte seja a resolução deles.

De nada adianta buscar por novos ares, se a futura moradia também apresentar situações semelhantes às que não lhe agradam hoje em dia.

2. Identifiquei o problema, é o espaço. O que devo fazer?

Muitas vezes, quando a família aumenta ou os filhos crescem e começam a sentir a necessidade de ter o seu próprio espaço, a ampliação da casa é uma das soluções.

Se o espaço não permite a ampliação, como é o caso de apartamentos, a solução é aproveitar melhor os espaços. Uma boa dica é usar portas divisórias. Além de delimitar os espaços, elas também podem ser abertas quando for preciso.

Outra boa opção é eliminar alguns armários ou balcões, substituindo-os por prateleiras sob medida anexadas aos pilares ou nas paredes que estão livres. Tem ainda, os móveis “dois em um”, que servem para mais de uma atividade, como é o caso das bancadas, que desempenham a função de mesa e de guarda-objetos.

Entretanto, se não houverem condições, não descarte a possibilidade de construir uma casa nova e maior. É mais espaço e um fator de alegria para todos.

3. Não aguento mais as cores da minha casa

Você deve estar pensando, “mas é só pintar”. Claro, não vamos subestimar o poder das tintas. Novas cores produzem a sensação de renovação e, dependendo das escolhas, de alto astral ou aconchego.

Para não errar nas cores, considere a atmosfera e qual é a função de cada ambiente. Imagine o que você gostaria para o lugar e escolha as cores que estarão de acordo. Por exemplo, se o seu quarto tem cores que deixam o ambiente muito carregado, mude para tons mais claros e que promovam uma sensação de calmaria.

Agora, se as cores refletem em um ambiente pesado ou cansativo, que tal pintar uma (ou mais) parede com cores vibrantes? Ouse no amarelo brilhante e em outras cores de sua preferência.

4. Gosta de acumular coisas em casa? Desapega!

Se você é daquelas pessoas que não consegue jogar nada fora, tome cuidado para não transformar a sua casa em um depósito de coisas sem utilidade.

Objetos que estão ocupando espaço e você não usa, podem ser eliminados, doadas ou vendidos. Basta fazer uma seleção do que ainda pretende usar (tenha certeza) e separar o restante. Pode ser que as suas “velharias” estejam impedindo um clima mais gostoso em casa. Exagero? Não é, pois, uma “revolução” nas suas coisas pode ser o início de um novo ambiente.

E se, mesmo assim sobrarem alguns objetos, pense em novas utilidades para eles. Garrafas de vinho podem se transformar em objetos decorativos com uma flor dentro.

5. O que me frustra é pagar aluguel

Conquistar a casa própria é o sonho da maioria dos brasileiros. Se você ainda paga aluguel, temos certeza que um imóvel para chamar de seu é um grande desejo.

Especialistas dizem que o primeiro passo para adquirir a casa própria é começar a poupar até você ter, pelo menos, 20% do valor total da obra. Para alcançar esse valor, fazer um planejamento financeiro para reservar cerca de 30% da sua renda mensal, é uma ótima atitude.

Procure avaliar bem as opções, se vai gastar mais comprando um imóvel pronto ou na planta, ou se vai construir uma casa do seu jeito. Existem boas alternativas de financiamentos públicos ou privados. Mas, não esqueça de pesquisar bastante sobre as empresas que você pretende negociar, seja qual for a sua opção de casa.

E aí, nossas dicas valeram à pena? Esperamos que as suas dúvidas tenham sido resolvidas. Crie novas possibilidades e seja mais feliz em sua casa!

Construir ou não uma casa de madeira?

Nós temos super dicas que podem ajudar na sua decisão!

Nome:

E-mail:

Celular:

Cidade:

Você já possui residência?

Nos próximos 12 meses você prentende: